Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Itaú afirma que Pix está substituindo TED e outras transações: entenda

Por Camila SilveiraPublicado em

O Pix já alcançou a marca de R$ 500 bilhões em movimentação desde o seu lançamento, superando o TED e DOC em números de transações, de acordo com o Banco Central.

O sistema está substituindo, até mesmo, os pagamentos em dinheiro, segundo o Marcos Cavagnoli, diretor do Itaú para open banking e gerenciamento digital de dinheiro, em entrevista ao Tecnoblog.

    "A chegada do Pix pode impactar as receitas de TED e DOC, porém entendemos que o Pix está fomentando a bancarização da população, permitindo que mais pessoas tenham acesso a produtos e serviços bancários", afirma Cavagnoli por e-mail. "Então, um movimento pode neutralizar o outro."

    Imperdível
    Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
    Ver cartão
    Encerra em 16:20

    Fora isso, o banco Itaú está identificando uma substituição gradual das transações em dinheiro graças ao Pix. De acordo com o executivo, isso gera "reduções importantes de custos transacionais, como os atrelados a gestão de numerário, e traz mais segurança para a sociedade como um todo".

    Pix substitui TED e DOC entre empresas

    Apesar do Pix ser gratuito para Pessoas Físicas e MEIs, ele pode ser cobrado para as Pessoas Jurídicas.

    Os bancos digitais, como o Nubank e Inter, possuem tarifa zero para esse tipo de operação, porém, as instituições tradicionais como o Santander, Bradesco e Itaú cobram taxas para transferências e recebimento via chave Pix e QR Code.

    Segundo Cavagnoli, "o valor das transações varia de acordo com o montante da operação e depende do perfil do cliente, seu segmento e relacionamento com o banco". Na tabela de tarifas do Itaú, as transferências via Pix feitas por clientes PJ devem pagar taxa de 1,45%, com tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60.

    Mesmo com a cobrança, o Pix ainda responde por mais de 50% das transferências do Itaú entre clientes PJ, ou seja, acabou superando o TED e o DOC em números de transações.

    "Vemos que esse é um recurso amplamente utilizado e acreditamos que a tendência seja só aumentar, considerando as novas funcionalidades que estão sendo programadas", diz Cavagnoli.

    O Pix Cobrança é uma das novas funcionalidades previstas para ser lançada pelo BC ainda este mês. Com ele, as empresas poderão gerar um QR Code definindo a data de vencimento, juros, multas e descontos. Bem parecido bom o boleto, porém, com compensação imediata.

    Gostou do conteúdo?

    Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós e até a próxima!

    Gostou? Deixe seu curtir
    Compartilhe
    Camila Silveira

    Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

    Ver todos os posts

    Deixe seu comentário

    Leia também

    Pix: como usar o sistema?

    Cadastro da chave Pix não é obrigatório

    Itaú afirma que Pix está substituindo TED e outras transações: entenda

    Pix: função soma R$ 1 tri em transações e responde por metade das transferências

    Pix: qual o limite diário de transações?

    iFood agora aceita Pix como forma de pagamento

    Pix Cobrança: entenda como funciona o novo serviço do BC

    BC vai liberar estorno de dinheiro pelo Pix em caso de fraudes ou falhas