Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Não caia em ciladas: conheça os golpes online mais comuns

Por Nara LimaPublicado em

Infelizmente, os golpes online são mais comuns do que se imagina. Não importa qual seja, a lógica entre todos eles costuma ser muito semelhante: criminosos tentam fazer com que a vítima revele seus dados pessoais, como CPF, telefone, número do cartão e, até mesmo, senhas.

Confira quais são os golpes mais comuns da internet

Golpe do Pix

Apesar de ter sido lançado a pouco tempo e ser seguro, o sistema de transferências e pagamentos online já sofre com tentativas de golpes. Na verdade, o que acontece é que os fraudadores tentam utilizá-lo como uma desculpa para convencer a vítima a revelar dados pessoais.

Geralmente são enviados links para confirmação de cadastro por SMS, e-mails e WhatsApp. Por ser recente no mercado, criminosos apostam nesses estilos de golpes, pois sabem que não é todo usuário que costuma se informar.

Golpe do site falso

Esse é um dos tipos de golpes mais comuns, no qual a pessoa clica em um link recebido de algum amigo para realizar alguma compra promocional. Ou seja, a pessoa é direcionada para uma página, informa seus dados e "realiza a compra".

O que acontece aqui, é que os golpistas criam um site muito semelhante a algum já existente e roubam os dados pessoas de um possível cliente.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Leia também:

Golpe da venda falsa

Esse é o nome dado ao golpe no qual você faz uma compra nas redes sociais, espera por um longo período e acaba nunca recebendo o produto.

Golpe do motoboy

O criminoso se passa por atendente do seu banco e diz que houve algum problema com o seu cartão. Em seguida, é enviado um motoboy para que ele possa retirar o cartão e "substituir" por outro.

Para passar mais confiança, o criminoso orienta a cortar o cartão no meio, como se isso fosse uma prova real de que ele não poderá ser usado novamente. Vale lembrar que com o número e código de segurança do mesmo é possível fazer compras digitais.

Golpe do aplicativo de mensagem

Por meio de links maliciosos, o golpista acaba invadindo o aplicativo de mensagens da pessoa, ou se passa por alguém fingindo que trocou de número.

Nesses casos, o fraudador entra em contato com familiares, amigos ou conhecidos dizendo que teve um problema, pede ajuda para fazer uma transferência com urgência e diz que no outro dia depositará o valor.

Golpe da invasão da conta

Ao clicar em um link malicioso, você pode acabar tendo sua conta bancaria invadida. Esse acesso permite com que o golpista realize transferências, esvazie o saldo e peça um empréstimo pré-aprovado em seu nome.

Como se proteger

Além de nunca revelar suas senhas e dados pessoais para ninguém via internet ou ligação, é importante atentar-se a certos cuidados. Continue lendo e confira algumas dicas:

  • Se vir uma promoção online, abra o site da loja;
  • Busque o cadeado do site _ localizado no início da barra de endereço;
  • Baixe aplicativos apenas de lojas oficiais;
  • Nunca permita acesso remoto ao seu computador ou celular;
  • Nunca envie informações ou dinheiro para contatos online;
  • Crie senhas fortes;
  • Seja sempre desconfiado.

Vítimas de um golpe

Cair em um golpe não é motivo de vergonha e, muito menos, de culpa. Se você for vítima, a primeira medida a tomar é procurar a polícia. Os profissionais são treinados para indicar quais os passos legais devem ser tomados.

Outro passo importante é entrar em contato com a instituição financeira para informar o golpe e evitar que grandes prejuízos aconteçam. Em alguns casos, é possível reverter os danos, mas em outros, não!

Se você sentir que não foi amparado da forma adequada, você pode procurar os órgãos de defesa do consumidor, o Banco Central ou um advogado.

Gostou do conteúdo?

Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe seu comentário aqui embaixo. Continue acompanhando nosso blog e saiba como facilitar a sua vida.

Até mais!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Nara Lima

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, gosta de escrever sobre educação financeira. Preza pela facilidade da leitura e pela checagem das informações, buscando produzir um conteúdo de leitura simplificada e que sane as dúvidas do leitor.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

C6 Tag: saiba tudo sobre a tag de pedágio do C6 Bank

Por que você deve considerar ter um cartão que pontua por Real?

Milhas Aéreas: O que um iniciante precisa saber?

Como conseguir internet de graça? Saiba como se conectar

Saiba como ganhar dinheiro online rápido

Inflação hoje: entenda como o seu dinheiro é afetado

Golpe do CPF falso: conheça e saiba como se proteger

Conheça 10 cursos de finanças gratuitos para aprender a investir