Foregon.comConteúdos

Dicas para você renegociar dívidas com o banco

Por Guilherme GadelhaPublicado em
Compartilhe

Quem está no vermelho por causa de instituições financeiras, sabe como é difícil sair dessa situação. No entanto, é possível superá-la! Saiba como renegociar dívidas com o banco em pequenos passos e reduza o seu débito em até 90%.

Para renegociar dívidas com o banco, é importante saber com o que você está lidando

Nunca é vantajoso aceitar uma dívida que você não pode pagar. Por isso, é essencial calcular a sua renda de acordo com os seus gastos mensais. Após realizar essa tarefa, fica ao seu dever identificar os gastos supérfluos para em seguida cortá-los.

Com estas informações em mãos, você pode oferecer ao banco o saldo restante da sua renda como parcela da renegociação. Vale lembrar que os futuros rendimentos como o 13º salário podem ser usados para conseguir descontos e abater a sua dívida.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Ainda não analisou o contrato? É melhor fazer isso já!

Analisar o contrato pode te ajudar a encontrar irregularidades como taxas e cobranças indevidas. Ao se deparar com qualquer anormalidade, é importante denunciar a situação ao Banco Central. Essa condição pode ser de grande ajuda para negociar com a instituição financeira responsável.

Outros bancos podem oferecer condições melhores

Você pode não saber, mas é possível fazer a portabilidade da sua dívida para outro banco. Ao encontrar melhores condições, você pode pressionar o banco a aceitar a sua proposta.

Mesmo assim o banco não aceitou a sua proposta? Considere levar a sua dívida para outra instituição. Vale lembrar que nesses casos, a maioria dos bancos não exigem a abertura de uma conta corrente.

Vá até o banco pessoalmente

Ainda que alguns bancos já possibilitem a realização de negociações pela internet e telefone, não é indicado que o cliente faça esse tipo de procedimento. O ideal é ir pessoalmente à instituição.

Por conta da padronização destes canais de comunicação, é possível que o cliente não encontre a opção que mais se encaixa com a sua necessidade. No entanto, caso o telefone seja o seu único recurso, anote o protocolo de atendimento e não o perca.

Sugerir soluções também pode te ajudar

Esperar solução de uma única parte pode te frustrar. Por isso, procure conversar para sugerir alternativas e facilitar o fechamento do seu acordo.

Independente do débito, a taxa de juros é sempre um grande vilão para o seu bolso. Com isso mente, é preciso recorrer ao banco toda vez que você notar que não vai poder arcar com a dívida. Evitar conversar com o banco pode piorar as chances de negociação.

É importante analisar a contraproposta do banco

Ao receber uma contraproposta, sempre peça um tempo para refletir a sua decisão. A maioria das ofertas alongam as dívidas, no entanto, oferecem mais parcelas para proporcionar uma sensação de alívio ao consumidor.

É importante lembrar que quanto mais parcelas, maior será o juros embutido no valor total. Analise o prazo de pagamento e verifique se as parcelas realmente cabem no seu bolso. Também é essencial se atentar aos juros, já que ele não deve estar acima da média do mercado.

Outra dica é evitar pagar todas as dívidas do banco em um único débito. Essa prática pode se tornar um grande incômodo no futuro. Isso pode te atrapalhar a calcular as vantagens do acordo, visto que a taxa de juros pode variar de acordo com cada modalidade de crédito.

Fique calmo

A maioria das instituições financeiras buscam ofertar a contratação de serviços e produtos para condicionar a renegociação. Segundo o Código De Defesa do Consumidor, essa prática é ilegal, e qualquer cobrança feita em tom de ameaça deve render indenizações ao cliente.

Não conseguiu fechar acordo? É possível conseguir ajuda

Os clientes superendividados contam com ajuda de instituições como Núcleos de Superendividamento do Procon. Esse auxílio é oferecido de forma gratuita. No entanto, os consumidores que não se encaixam no perfil, podem precisar da ajuda de um advogado para concluir o seu acordo.

Feirões também são uma boa alternativa

Existem alguns mutirões que servem unicamente para renegociar dívidas com o banco. Vale lembrar que esse tipo de evento não possui cronograma fixo, e que nem todas as instituições financeiras participam dele.

Em uma tentativa de receber pagamentos através de volume ao invés de negociações, os bancos oferecem condições melhores que as padrões. Contudo, é importante se preparar para não ir com muita sede ao pote, visto que o acordo também pode ser desfavorável nessas situações.

Cuidado para não errar de novo

Depois de conseguir renegociar dívidas com o banco, é importante manter a sua vida financeira novamente sob controle. Em casos de quebra de acordo, é bem provável que o banco volte a dificultar as chances de realizar um bom negócio. Por isso, fique de olho e mantenha a sua carteira nas rédeas certas.
Também se endividou com o cartão de crédito? Clique aqui e confira as nossas dicas sobre como renegociar dívidas de cartão de crédito.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais
Guilherme Gadelha

Publicitário e Redator na Foregon. Gosta do universo financeiro e tem a escrita como hobby e profissão.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Título de capitalização da Caixa: entenda como funciona

  • Dicas financeiras

    Conheça o Monefy, o gestor de finanças e despesas pessoais

  • Dicas financeiras

    Cadastro Único: como consultar e saber se eu estou inscrito?

  • Dicas financeiras

    Morar no exterior: qual o custo de vida em Portugal?

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras